A Próxima Companhia fez interferência urbana na Cracolândia

Nos dias 10, 11 e 12 de abril, os atores e atrizes da A Próxima Companhia, percorreram as ruas da região denominada Cracolândia em uma intervenção artística, com performances, dentro do projeto “Tebas – A Cidade em Disputa”, contemplado pela 32ª edição do Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo.

“Re[tiros]: Alvos entre fluxos” é a segunda intervenção na cidade (de um total de sete) que busca contribuir para a pesquisa do grupo na criação de seu novo espetáculo. Em comum, todas as intervenções acontecem em regiões ao redor da sede da companhia, em Campos Elíseos, e focam em questões diversas ligadas ao tema da disputa de território. “O que mais nos chama a atenção nessa região (que vai da estação Júlio Prestes até a Alameda Nothmann, seguindo pela Avenida Rio Branco e fechando o quadrante pela Avenida Duque de Caixas) é que o paralelo com a disputa pela cidade, expressa na tragédia Os Sete Contra Tebas se apresenta diretamente, o olhar para a estado de guerra se apresenta em evidência. Essa região e o Minhocão sempre chamou a atenção do grupo desde que mudamos a Sede para cá e foi a partir das suas questões que começamos a pensar todo o desenho desse projeto de Fomento. São interesses dos deuses do mercado que se mostram dispostos a limpar tudo que estiver em seu caminho, sendo ali um espaço complexo que sobrepõe muitas camadas, habitantes, trabalhadores, comerciantes”, explica o grupo no material de divulgação.

A direção foi de Edgar Castro com colaboração dramaturgica de Victor Nóvoa. No elenco elenco Caio Marinho, Caio Franzolin, Gabriel Küster, Paula Praia, Juliana Oliveira, Marcela Pupatto, Rebeka Teixeira. A direção musical é de Laruama Alves.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

Sobre o autor

David Denis Lobão