Reportagem sobre o “Fofão da Augusta” ganha prêmio de jornalismo

Em uma época em que o jornalismo anda cada vez mais desacreditado, certas reportagens nos fazem acreditar na boa imprensa. Para situações como esta existe o “Prêmio Petrobras de Jornalismo“. Em seu conceito de realização, o próprio se define com “o objetivo de reconhecer a importância dos meios de comunicação e, sobretudo, dos jornalistas que participam do processo de democratização e de disseminação de informações relevantes para o país”.

E uma das melhores reportagens culturais dos últimos anos foi reconhecida na noite desta terça-feira, dia 27 de novembro, com o prêmio. A matéria “Fofão da Augusta? Quem me chama assim não me conhece”, do repórter Chico Felitti, para o portal Buzz Feed News Brasil, foi a campeã da categoria Cultura.

Graciliano Rocha, editor do Buzz Feed News Brasil, postou no Twitter a foto que ilustra esta nota e comemorou: “Gosto de pensar que um prêmio, por mais prestigioso que seja, não altera o conteúdo do jornalismo. A beleza da moldura não ofusca o que está na tela. E, portanto, a apuração do Chico Felitti, primorosa, ousada e sofisticada, é o jornalismo no qual acredito. A reportagem tem o mérito de descrever, a partir da trajetória de um homem, aquilo que a metrópole tem de fascinante, mesquinha e universal. Com edição de @mauroalbano”.

Confira abaixo outras matérias de Chico Felitti que valem uma leitura.

Agora em um abrigo, famílias que estavam no Paissandu convivem com toque de recolher e muros
Um jovem de 20 anos diz que se chocou com as regras do lugar, como o de fechamento dos portões, às 21h. “Eles estão tratando a gente como sem-teto. Mas a gente não era sem-teto antes da nossa casa cair”, diz. “Eu pagava aluguel.” Prefeitura diz que sempre manteve as famílias informadas.

O bancário Fabricio gastou quatro meses e R$ 3.000 para criar um boneco assassino Chucky perfeito
O projeto peculiar foi apoiado pela família e por amigos — ainda que uns deles se recusem a ver o boneco.

O Dr. Bumbum foi preso, mas há médicos agindo como ele nas redes sociais
Ao contrário do Dr. Bumbum, Valter Hugo opera em clínicas e hospitais credenciados e pode exercer a medicina. Mas, assim como o médico preso, ele vai além do permitido pelas entidades médicas — como marcar cirurgias por WhatsApp.

Presidente da Associação de Críticos do RJ deixa de dar aula após alunas o acusarem de assédio
O roteirista e crítico de cinema Rodrigo Fonseca lecionava na Escola de Cinema Darcy Ribeiro, no Rio, até que no começo de julho mais de dez das suas alunas afirmaram à diretoria que ele as havia assediado. Ele nega.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

Sobre o autor

David Denis Lobão