Elseworlds e Aranhaverso: como o Brasil dá brechas para a pirataria

O Brasil é um dos países com mais conteúdo pirata sendo disseminado. Dito isto, precisamos destacar esforços para barrar o compartilhamento indevido de obras pela internet. Dois bons exemplos são da FOX e da HBO, que exibem as séries “The Walking Dead” e “Game of Thrones” de forma simultânea com a transmissão nos Estados Unidos.

Uma coisa é fato: o público nerd é um dos maiores consumidores e disseminadores de conteúdos piratas na internet. Por isto ele precisa de uma atenção especial. O Crunchyroll cumpre bem este papel com a exibição em diversos países do mundo de animês assim que eles são transmitidos pela televisão japonesas. Isto é a globalização, é a era digital.

O que não dá para entender são decisões como da Warner Channel do Brasil, que vai transmitir o aguardado crossover “Elseworlds” em nosso país quase uma semana após a exibição nos EUA. É dar chance para a pirataria geek fluir dentre os fãs brasileiros dos heróis da DC.

O encontro de Flash, Arqueiro-Verde, Supergirl, Superman e Batwoman irá ao ar nos Estados Unidos nos dias 9, 10 e 11 de dezembro. No Brasil, os três episódios, originalmente transmitidos nas séries “Arrow”, “Flash” e “Supergirl”, só serão exibidos, na sequência, a partir das 22h50 do dia 16 de dezembro.

Outro exemplo, o filme “Homem-Aranha no Aranhaverso” (Spider-Man: Into the Spider-Verse) estreia dia 10 de janeiro de 2019 nos cinemas brasileiros. Nos Estados Unidos, na internet e nos vendedores ambulantes de DVD estará disponível a partir de 14 de dezembro de 2018.

Mais um exemplo: a Netflix anunciou a exibição da série “Titãs” (Titans) no Brasil, só não definiu a data. Nos Estados Unidos, a transmissão começou em 12 de outubro e seus primeiros episódios já estão disponíveis legendados nos melhores e piores sites de download ilegal.

Até quando as distribuidoras brasileiras darão espaço para a pirataria, dando um espaçamento entre o lançamento no país de origem e a estreia no Brasil?

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

Sobre o autor

David Denis Lobão