“Cazuza continua vivo”, declara Elza Soares

Elza Soares lançou recentemente sua versão para a clássica música “O Tempo Não Para”, de Cazuza. A canção estreou na novela homônima “O Tempo Não Para” e está no CD da trama da Rede Globo. Uma das características é o grande número de elementos eletrônicos.

A novidade é o lançamento do lyric video disponibilizado no canal da cantora no YouTube. As imagens foram feitas durante a gravação da música no estúdio Tambor (RJ), com direção de Pedro Hansen. A versão da canção foi produzida por Rafael Ramos.

Em entrevista disponibilizada para o lançamento do lyric video, Elza declarou: “Cazuza continua vivo, mostrando pro mundo a sua capacidade de ver as coisas lá na frente. Ele viu o futuro repetir o passado. Em dias tão sombrios como hoje, é uma mensagem muito forte, como se ele estivesse escrevendo agora. E Cazuza sempre foi amor da vida de todo mundo. Acho que todos os cantores, todos os artistas tinham a honra de estar perto dele, como eu tive de conviver ao lado dele. E gravar essa música foi uma mensagem muito viva, como se ele estivesse aqui presente. Amo Cazuza. Amo a mensagem dele. É isso que eu sinto, o tempo não para. Porque o tempo não para mesmo, Cazuza”.

Disparo contra o sol
Sou forte, sou por acaso
Minha metralhadora cheia de mágoas
Eu sou um cara
Cansado de correr
Na direção contrária
Sem pódio de chegada ou beijo de namorada
Eu sou mais um cara
Mas se você achar
Que eu tô derrotado
Saiba que ainda estão rolando os dados
Porque o tempo, o tempo não para
Dias sim, dias não
Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
Da caridade de quem me detesta
A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas ideias não correspondem aos fatos
O tempo não para
Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não para
Não para não, não para
Eu não tenho data pra comemorar
Às vezes os meus dias são de par em par
Procurando agulha num palheiro
Nas noites de frio é melhor nem nascer
Nas de calor, se escolhe, é matar ou morrer
E assim nos tornamos brasileiros
Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam um país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro
A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas ideias não correspondem aos fatos
O tempo não para
Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não para
Não para não, não para
Dias sim, dias não
Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
Da caridade de quem me detesta
A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas ideias não correspondem aos fatos
Não, o tempo não para
Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não para
Não para não, não, não, não, não para

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o autor

David Denis Lobão