PlayPlus traz de volta trilogia Os Mutantes – Entrevista com o diretor

A Rede Record lançou seu aplicativo PlayPlus, com o objetivo de concorrer com o Globoplay. Para ter uma boa quantidade de vídeos no seu lançamento, a RecordTV disponibilizou todas as suas novelas gravadas desde a retomada da sua produção própria de teledramaturgia, com “A Escrava Isaura”.

E bem antes das novelas bíblicas da Record, a emissora inovou com a trilogia “Os Mutantes”, uma série de produções focadas em super poderes criados por efeitos especiais e seres das mais variadas mitologias. Esta aventura foi dividida em:

Caminhos do Coração” – 240 capítulos

Os Mutantes – Caminhos do Coração” – 242 capítulos

Mutantes – Promessas de Amor” – 105 capítulos

Apenas a primeira temporada/novela da trilogia foi reprisada pela Rede Record, em um compacto de 165 capítulos. Agora, pelo aplicativo, é a chance de rever todos os episódios na integra, da forma como foram ao ar originalmente na TV.

Para um momento tão único, relembro uma entrevista, que tive a chance de fazer com o diretor da trilogia, Alexandre Avancini, enquanto ele dirigia a Segunda Temporada.

O bate-papo a seguir foi publicado originalmente pela revista Crash (Editora Escala) em setembro de 2008.

1 – Quando você foi chamado para dirigir a novela? Qual o primeiro pensamento que veio em sua cabeça quando pensou que dirigiria uma trama com mutantes?

Na verdade eu já estava eu já fazia “Caminhos do Coração” e para ela o Thiago começou a elaborar sinopses de uma novela pra substituir “Vidas Opostas” e comentávamos sobre várias temáticas quando ele apresentou esta de uma trama que tivesse mutantes, experiências secretas e eu imediatamente adorei a trama. Eu sou um fã de ficção-cientifica, este universo é muito interessante de realizar, um desafio.

2 – Qual o processo de escolha de atores? Já que a trama mistura novatos e veteranos… Além de cantores, miss Brasil e tantas figuras da cultura pop nacional.

Como a novela tem um formato mais informal, podemos apostar em coisas diferentes e deu certo, funcional. Os artistas colocamos no grupo circense da novela e funcionou. E como a trama pede uma entrada e saída constante de personagens, a gente sempre aposta em atores novos. Atores que entraram só pra fazer uma participação em “Caminhos do Coração”, estão até hoje no ar, há mais de um ano.

3 – Em uma pesquisa recente com os leitores eles elogiaram personagens coadjuvantes como Perpétua, Chris, Gór e Metamorpho. Você imaginava o sucesso destes personagens coadjuvantes? Isto te surpreende?

Na verdade não surpreende, escalamos o elenco esperando que todos os personagens deem certo, e acho que estes fazem parte do sucesso da novela. O que ocorre é que às vezes os protagonistas ficam presos a uma linha mais novelística. E estes personagens que não tem tanto compromisso com a novela, com a história principal em si, ficam mais soltos para cenas de luta, de ação. Gerando uma identificação maior com o público neste sentido.

4 – Quais as cenas mais complicadas e demoradas para gravar? O que te dá mais trabalho em “Os Mutantes”?

Algumas coisas complexas, sequências envolvendo cabos de levitação, cabos pra suspender os atores pra lutas. E pra isto precisamos fazer uma rede de cabos no teto do estúdio e a gente usa muito isto. E não é só complicado de gravar, mas a pós produção também é muito complicada, já que todos os cabos precisam ser apagados no computador. Os efeitos 3D também são complicados, como gerar o lobisomem.

5 – Qual a concepção que vocês usaram na criação dos ETs e das naves extraterrestres? Quais as fontes de inspiração visual?

A gente sempre busca fontes atuais. É mais fácil você contar uma história quando o publico identifica o signo de imediato. Então teve referencias de “Independence Day”, dentre outras fontes.

6 – Como é o processo para fazer os efeitos em um espaço tão curto de tempo que é uma novela diária?

É complicado, porque o nosso processo de gravação é idêntico do usado em Hollywood, o que diferencia a gente é o tempo final. Um frame de “Homem de Ferro” leva 36 horas, a gente faz isto em um tempo infinitamente menor. Gravamos uma cena hoje pra ir ao ar no dia seguinte. O processo de gravação é o mesmo, a pós-produção que é diferente, abrimos mão de uma série de detalhes, mas mesmo assim ficamos numa qualidade igual da televisão americana. Mesmo porque o seriado americano é semanal, a gente é diário.

7 – Você já dirigiu “Kubanacan” que lidava com ficção (viagem no tempo) e “Vidas Opostas” (que tinha muitas cenas de violência). Você gosta do gênero ação/aventura? Se sente confortável para fazer isto no Brasil?

Eu acho um tema super Interessante, é um grande desafio é abordar em novelas algo que só é abordada em cinemas americanos, o leque de temas das nossas novelas é muito limitado. Algo que nem o cinema brasileiro abordou. Gosto de contar histórias diferentes. O publico reclama muito das mesmices das novelas, estamos partindo pra outro caminho. E “Vidas Opostas” e “Caminhos do Coração” seguiram temáticas diferentes e deram muito certo.

8 – A linguagem dos quadrinhos e dos animês influenciaram de alguma forma na concepção visual e na direção de “Os Mutantes”?

Sempre influencia, a gente pode brincar muito com este tipo de universo e sempre que a gente pode coloca nosso pezinho neste tipo de linguagem, mas nem sempre é possível pela questão do tempo.

9 – Já pensaram em lançar histórias em quadrinhos, um desenho animado ou um filme para os cinemas com os personagens da novela?

Não, especificamente isto não entrou em discussão ainda. Esta saindo um novo álbum de figurinhas, deve sair um videogame. Mas estas coisas que você citou ainda não entraram em discussão.

10 – Sobre os produtos licenciados da novela, você citou o game. Será para PC ou videogames clássicos? A Tectoy chegou a lançar até a “TV Colosso” pro Master System.

Pro ano que vem. A principio seria só pra PC, seria um jogo sofisticado, com acabamento de jogo do primeiro. O Thiago ta trabalhando o roteiro do game pra equipe de computação e a proposta é fazer um jogo muito bem trabalhado.

11 – Foram muito elogiadas na internet as duas aberturas da novela. Como surgiram as idéias para cada uma delas? Quem as fez?

Nasceu numa conversa em conjunto com o departamento de aberturas da Record. A gente foi jogando idéias na mesa. A abertura do DNA (primeira temporada), o Thiago tinha pensado para frisar as experiências genéricas.

12 – Outro ponto muito positivo foram às propagandas da primeira fase com posters dos principais mutantes em ação. Como foram feitos os desenhos e trabalhada a idéia? Porque a idéia não foi usada em “Os Mutantes” existem planos de novas imagens do gênero?

Aqueles pôsteres foram parte da campanha de “Caminhos do Coração” e demandou muito tempo, “Os Mutantes” mesmo sendo uma nova novela era continuação da outra não teve o mesmo tempo pra fazer este material gráfico. E não temos previsão pra isto agora em “Os  mutantes”. Mas, claro foi um trabalho bem elaborado com a (agência de publicidade) DPZ, que criaram storybords em cima das nossas sugestões e depois nós aprovamos.

13 – A internet é um ponto muito aproveitado para divulgação de séries e filmes nos Estados Unidos com sites oficiais. Porque o site da novela não é tão explorado com jogos, cenas extras ou algum tipo de bônus para os fãs o acessarem? 

É, eu acho que deveria (ser mais explorado o site), mas é um outro departamento, que não temos gerencia sobre isto. Não é subordinado a gente.

Previous Article
Next Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o autor

David Denis Lobão